Talhão – Sociedade de Vinhos SA
Estrutura familiar produz vinhos ribatejanos de qualidade

Na Rua da Fonte, em Almeirim, a Talhão Sociedade de Vinhos S.A. foi fundada pelos irmãos Pedro e Luís Guimarães com o objectivo de produzir vinhos de qualidade. As uvas advêm de vinhas velhas e novas pertencentes à casa mas também de vários produtores a ela associados.

Reportagem: Patrick Neves

Fundada em 1997 pela dupla de irmãos Pedro e Luís Guimarães, a Talhão Sociedade de Vinhos S.A., localizada à entrada da localidade de Almeirim, dedica-se exclusivamente à produção de vinhos de qualidade DOC, regionais ribatejanos e de mesa. As uvas utilizadas provêm de várias quintas pertencentes ao produtor, quer de vinhas novas como velhas, situadas nos arredores da adega, totalmente equipada com moderna tecnologia e um bom sistema de vinificação.
As vinhas novas estão plantadas na Quinta do Talhão, com as castas Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Chardonnay e Arinto, Foral Velho (com Castelão, Tinta Roriz, Fernão Pires e Chardonnay), Ribeiras (com Alicante Bouschet), Talhão Pequeno (com 3 hectares de Syrah), Jacob (com 7 hectares de Cabernet Sauvignon e Tinta Roriz), Sertões e Cova das Meadas.
As vinhas velhas estão localizadas em Almeirim, em 7 hectares na Vinha dos 25 (com várias castas brancas tradicionais) e, em Alcanhões, no Monte Trigo, com 26 hectares com várias castas tradicionais brancas e tintas.

Até 4 milhões de litros por ano
Para além destas parcelas pertencentes ao produtor, a Talhão estabeleceu acordos com vários vitivinicultores locais no sentido de lhe serem entregues as uvas e a quem prestam assistência técnica, no desenvolvimento das vinhas e no processamento das vindimas. O limite da produção é de 4000000 litros por ano, havendo estrutura para produzir vinhos brancos, tintos e rosés de qualidade.
A tecnologia necessária à produção tem sido modernizada e adaptada consoante as necessidades e as disponibilidades da tesouraria, sendo que do portfólio de vinhos produzidos fazem parte as referências Cantador, Tinoco, Cave do Vinho, Tapada do Borrego, M.C., Ramada, Alta Mesa e Aldeola. Existem também os vinhos de mesa Tocador e Ribeira (brancos e tintos), Sertões, Picadeiro, Forma de Arte (vinho regional branco e tinto) e o DOC Ribatejo Marquês de Terena.
Nos últimos anos foram também produzidos os monocastas tintos Paço de Aviz Trincadeira, Paço de Aviz Cabernet Sauvignon e Paço de Aviz Castelão, bem como o tinto Paço de Aviz Clássico, que mistura 4 castas, e o Branco, que inclui Chardonnay e Fernão Pires.

Situação actual
Tal como explicaram à Nectar os proprietários, nos próximos tempos, a Talhão não prevê lançar mais marcas comerciais novas no mercado apesar da gama Paço de Aviz estar numa fase de estudo relativamente à comercialização de alguns vinhos bivarietais.
“Brevemente a estrutura familiar também poderá ser reforçada e rejuvenescida com Vítor Guimarães, que se encontra a concluir o mestrado em viticultura e enologia no Instituto Superior de Agronomia de Lisboa”, revelou o administrador Pedro Guimarães.
Porém, de momento, “o grande projecto do Talhão é tentar ultrapassar a crise que o país e particularmente o sector do vinho têm atravessado, com o reforço das exportações já existentes e a procura de novos mercados emergentes”.

Vinhos premiados
Recorde-se que os néctaeres da Talhão já foram premiados em inúmeros concursos nacionais e internacionais de vinhos, nomeadamente o Paço de Aviz Cabernet Sauvignon 2003, Prémio de Excelência no 8º Concurso de Vinhos Engarrafados do Ribatejo, o Marquês de Terena Tinto 2003, medalha de Ouro, e os Paço de Aviz Cabernet Sauvignon Tinto 2004, Prestige Reserva Tinto 2003 e Trincadeira Tinto 2003, com medalha de Prata. No mesmo certame o Paço de Aviz Cabernet Sauvignon 2000 alcançou medalha de Ouro, bem como o Paço de Aviz Cabernet Sauvignon 2001. O Marques de Terena 2000 alcançou a medalha de Prata.
No mesmo concurso, em 2007, o Paço de Aviz Cabernet Sauvignon Tinto 2004 alcançou Ouro, bem como o Paço de Aviz Clássico Tinto 2004.

Anúncios