Edição 74/75

2009, O ano da consolidação

aparicio2Cansados da palavra crise, partimos nesta edição à descoberta de um país vinícola mais positivo que, acima de tudo e dadas as suas potencialidades, deve dar a volta por cima, consolidando marcas ou lançando-se em novos desafios, que por vezes é o melhor a fazer nestas alturas, podendo salvar muitos postos de trabalho.
Preferimos portanto apelidar 2009 como sendo um ano de consolidação, na qual marcas, empresas e organismos devem apostar, quer seja através da fidelização dos actuais clientes quer conquistando outros, através de re-brandings, promoção ou lançamento de novos produtos.
Ficámos aliviados pois, afinal, existe vontade, principalmente das regiões afastadas dos grandes centros urbanos que se querem assumir, cada vez mais, como destinos de excelência, promovendo os seus pontos de interesse.
Subimos à Bairrada, para experimentar as relíquias gastronómicas ali produzidas, assistimos a eventos no Porto, que distinguiram os principais vinhos e produtores portugueses, e escrevemos sobre a harmonia da comida com vinhos, sugerida por associações, hotéis ou restaurantes.
Presenciámos conversas, associamo-nos a encontros e festas em torno do vinho, e destacámos produtores, pela forma original e inovadora com que lutam nos mercados, nacional e estrangeiro.
E porque beber vinho também pode ser uma moda, em Cascais, deliciámo-nos com coktails, que podem ser a porta de entrada dos jovens num mundo, o dos vinhos, que tem ainda muito para dar aos apreciadores mas também aos futuros experimentadores. •

J.E. Aparicio